domingo, 29 de março de 2015

Arautos apresentaram a comédia "Ladrão em Casa"

Neste sábado à noite (dia 28 de Março), os Arautos - Grupo de Arte e Cultura apresentaram a peça hilariante "Ladrão em Casa", diante de meia casa no Auditório da Junta de Freguesia de Esmoriz. Destacamos o bom ambiente-som e a cenografia devidamente arquitectada para o efeito.
A peça remetia-nos para a realidade dum casal da alta elite que acabaria por ser assaltado por um ladrão (que se fez passar por um distribuidor de pizzas para lograr a penetração na moradia), todavia este último é surpreendido quando repara que afinal era tudo fachada - o referido casal vivia das aparências e da fachada, pois estava inteiramente falido, e por isso, não tinha meios financeiros para saldar as pretensões do larápio. O diálogo fluiu depois em tom humorístico, arrancando risos na plateia. A comédia termina com um novo assalto, isto é, mais outro larápio que julgava que estava a assaltar uma casa de gente abastada, mas afinal a crise bateu à porta de muita gente. 
Foi assim comemorado exemplarmente o Dia Mundial do Teatro assinalado no dia anterior à citada comédia - 27 de Março (sexta-feira). 
No final, Silvino Gomes, representante máximo desta colectividade teatral, agradeceu a presença dos espectadores e recordou o Encontro de Teatro de Esmoriz que deverá decorrer no dia 18 de Abril com artistas e grupos convidados, e ainda com a presença de cartaz de Nuno Melo, actor conceituado e bastante conhecido dos portugueses em geral. 
Esmoriz respira cultura, e muito o deve a todas as suas colectividades que dão muito de si em prol da comunidade, sem esperar grande retorno económico em troca. É um voluntariado que engrandece os pergaminhos da terra! Todos eles, sim, merecem brilhar no mais altivo palco do Esmoriztur com modernas condições que façam desenvolver ainda mais o seu talento.






















Poema "Amizade Sublime" de Ana Roxo


Amizade Sublime
(Poema da autoria de Ana Roxo)


Amigo, ó que palavra tão bela…
Em fino quadro pintado
Pintura colorida aguarela…
Sentimento divino, iluminado!

Ó Amigo que não tens fronteiras
Não tens raça, credo ou cor…
És Amizade pura, sem barreiras…
Fruto do mais sublime Amor!

Ó Amigo, de todos os momentos,
Amigo de todas as idades…
Amigo, das alegrias e tormentos,
Amigo das bonanças e tempestades.

Ó amigo, que és diferente,
Mas não menos especial…
Aquele amigo que está doente…
O que está no hospital!

Ó amigo, que és diferente,
Porque não podes andar…
A amizade carrega-te fortemente
Para em seus braços te levar!

Ó amigo canta hinos de amizade
Ergue bem alto a tua voz…
És pauta musical, melodia…
Sinfonia fantástica de Berlioz!

Canta, ó amigo, canta…
Faz da amizade – bela canção…
Uma canção de esperança
Musicada pelo coração!

E, para terminar, ó amigo…
Que sejas sempre raio de luz…
Tu comigo, eu contigo…
Amparando a nossa cruz!



georg-frederick-chester

Pintura de Georg-Frederick-Chester

A 7ª edição do TIVE (2015) reivindica novamente um efeito mobilizador

O TIVE começou no dia 26 de Março (passada quinta-feira) e, desde então, a Avenida Raimundo Rodrigues e a Rua dos Desportos se encheram de autocarros de entidades desportivas e de infindáveis viaturas. A afluência aos jogos tem sido elevada, destacando-se bastante juventude. Nestes torneios de voleibol (masculinos e femininos) destinados aos jovens, participam inúmeras equipas nacionais, mas também há a presença registada de clubes estrangeiros.
O evento tem mobilizado a economia local, o que atesta o prestígio e divulgação da competição em termos nacionais.
Só nos resta felicitar o esforço, o voluntariado e o dinamismo dos organizadores, bem como desejar óptima estadia a todas as equipas participantes.




Foto extraída do Perfil do EGC - TIVE no Facebook

A Rádio Voz de Esmoriz faz 28 anos de existência




No dia 29 de Março de 1987, um homem chamado Orlando Santos (juntamente com outros colaboradores incansáveis) decidiu potenciar o legado de Alexandre Castro Soares (fundador do Jornal A Voz de Esmoriz) para um novo patamar histórico. A inauguração desta rádio viria a satisfazer as necessidades dum povo que, na altura, lutava pela ascensão e desenvolvimento urbano. São difundidos programas de teor musical, cultural, informativo, desportivo, rubricas...
Orlando Soares dos Santos era natural de Travanca (Santa Maria da Feira) e nasceu a 13 de Agosto de 1935. Desde muito cedo, tornou-se residente em Esmoriz, e aí se tornou num dos cidadãos mais dinâmicos que tiveram a honra de pisar a Cidade da Tanoaria. Além da sua participação fundamental para a criação da Rádio Voz de Esmoriz, foi igualmente vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia de Ovar, entre 1979 e 1988. Faleceria a 17 de Dezembro de 2005.
A actual direcção da Comissão de Melhoramentos tem procurado manter este legado, e inclusive adquiriu um novo emissor, equipamento RDS e um novo sistema informático ADR, prendas que decerto servirão com distinção todos os ouvintes.

Escuteiros de Esmoriz constroem mini-campo escutista

Começaram as obras para a criação dum futuro mini-campo escutista dos Escuteiros de Esmoriz (Agrupamento 871). O objectivo do mesmo passará pela recepção de escuteiros de norte a sul do país e até, quem sabe, doutros países. Isto obviamente além do acolhimento dos membros do próprio agrupamento local.
É, por isso, uma nova etapa que os seguidores de Baden Powell pretendem inaugurar no decurso da sua nobre existência.







Fotos partilhadas por João Soares na página dos Escuteiros de Esmoriz no Facebook

Esmoriz tornou-se vila há 60 anos!

Foi no dia 29 de Março de 1955 que Esmoriz alcançou o estatuto de vila, uma data marcante na evolução da localidade. Mas para nos inteirarmos deste passo determinante, é imperioso descrever sucintamente o contexto histórico.
Na primeira metade do século XX, a localidade tinha experimentado um considerável desenvolvimento urbano, demográfico, comercial e industrial. Efectivamente, por volta da década de 1950, a população a residir em Esmoriz superava os 5 mil habitantes, e já contava com algum dinamismo associativo, escolas primárias, uma estação de caminho-de-ferro, uma corporação de bombeiros e um posto de serviços postais. Por outro lado, reivindicava tradições (de âmbito religioso e etnográfico) bastante enraizadas que lhe conferiam uma clara identidade. Também a procura turística em torno da Praia de Esmoriz e da Barrinha (na altura, límpida e cobiçada por portugueses e estrangeiros) atestava a sua avolumada importância.
Dentro deste contexto de favorável crescimento, decorreu a célebre sessão da Junta de Freguesia de Esmoriz no dia 19 de Abril de 1951, onde a partir da qual se solicitará ao Ministro do Interior a elevação da freguesia à categoria de vila. Conforme Aires de Amorim nos relata na sua monumental obra “Esmoriz e a sua História” (p. 467), a intenção não foi muito bem acolhida pela Câmara Municipal de Ovar que, naquela altura exacta, acabaria então por desvalorizar a pretensão então apresentada. A comunidade de Esmoriz lamentou imediatamente a ausência de atenção e colaboração por parte do município ovarense e expressou ainda o seu descontentamento face às limitações de electrificação na freguesia bem como a necessidade (não atendida) de obras urgentes nas escolas da Relva. Todavia, o povo esmorizense, mesmo isolado, não abdicou do seu sonho e “foi à luta”, avançando assim com o seu pedido de elevação a vila e até equacionando a hipótese duma nova integração no concelho de Espinho (Esmoriz pertencera fugazmente a este concelho entre 1926 e 1928). O tremendo esforço canalizado pela Junta de Freguesia de Esmoriz e até pelo padre Manuel Dias da Costa (filho da nossa terra que empreendeu diligências influentes neste dossier) tornaram o sonho possível. 
No dia 29 de Março de 1955, Esmoriz acordava para ser oficialmente vila (através do decreto nº 40.108), momento de progresso que fez rejubilar de orgulho os seus habitantes. Quase quatro décadas depois, em 1993, esta terra de Santa Maria almejaria o estatuto de cidade, demonstrando que a ascensão prévia a vila constituiu um passo acertado que motivou a continuidade do desenvolvimento económico e social. 




Imagem nº 1 - Parte da costa esmorizense no ano de 1953.




Artigo retirado do Jornal - A Voz de Esmoriz. Dir. Lília Marques. Edição nº 1116 (26 de Março de 2015). Esmoriz: Comissão de Melhoramentos de Esmoriz, 2015.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Sumário Noticioso - Juízo de Bancada (9 a 16 de Março) - texto enviado por Emanuel Bandeira



Juízo de Bancada – 9 a 16 de Março



No programa «Juízo de Bancada» da Rádio Voz de Esmoriz (segundas-feiras, 21h30), são julgados ‘casos’da actualidade nacional e local, sendo que para caso há um veredicto: banco dos CÉUS (quando adecisão é positiva) ou banco dos RÉUS (quando a decisão é negativa). Este texto reflecte, em parte, os temas abordados no programa. Não se trata de um ensaio de rigor intelectual, é apenas um mero juízo feito por alguém que está na “bancada”.



Depois de várias semanas marcadas por casos de grande impacto mediático, esta semana foi, por comparação, mais tranquila. Ainda assim (e como sempre) muito foi acontecendo no nosso Portugal.

1. Em primeiro lugar, destacava duas breves notícias: a comemoração dos 70 anos da TAP e a saída de Belmiro de Azevedo da liderança da SONAE, pondo fim a uma carreira de 50 anos na empresa. Sobre Belmiro de Azevedo destaco a frontalidade com que foi tratando as mais diversas personalidades, não tendo medo de dizer o que pensava. Apesar de algumas derrotas, construiu carreira de relevo e merece portanto o devido reconhecimento. Banco dos CÉUS!

2. O segundo destaque vai para as sondagens do Jornal Expresso. No rescaldo da polémica entre Passos Coelho e a Segurança Social, 64% dos portugueses inquiridos não acreditaram nas justificações avançadas pelo Primeiro Ministro. Ainda assim, curiosamente, a maioria dos inquiridos entende que a autoridade política e moral de Passos não sai beliscada com esse episódio e 60% entendem que ele não se deve demitir. Apesar dessas boas notícias para Passos, quer ele, quer Cavaco Silva, não se livram de um verdadeiro trambolhão nas sondagens, caindo 2% e 5%, respectivamente. Banco dos RÉUS
Pessoalmente, acredito que Passos fica com a imagem manchada e a credibilidade irremediavelmente afetada. Estou de acordo, no entanto, que o caso em si não teve gravidade suficiente para justificar uma hipotética demissão.

3. Ainda centrado na área política, não posso deixar de fazer uns comentários ao debate quinzenal no Parlamento. Esperava-se um PS e, em particular, um Ferro Rodrigues, com uma postura de rotweiller, mordendo e não largando a situação de Passos Coelho. Ora, em boa verdade, assistimos a um Ferro Rodrigues versão chiuaua. E a que se deve tamanha benevolência do líder parlamentar do PS? Não será certamente por falta de experiência, visto que tem mais de 40 anos de experiência em comícios e atividades partidárias. A explicação avançada é que o PS não está interessado em fazer uma “política de casos”. Houve quem não perdesse a oportunidade e, com humor, fizesse notar que depois da “política de casos” vem a política das “casinhas” onde alguns (leia-se, António Costa), terão andado a viver em duplexes construídos em violação de pareceres da própria Câmara Municipal de Lisboa. Mais, os jornais avançam mesmo que António Costa, por esse duplex situado na avenida mais cara do país, pagava de renda a módica quantia de 1100€ por mês. Diz o ditado que “quem tem telhados de vidro, não atira pedras ao telhado do vizinho”. Ou à segurança social dele... – Banco dos RÉUS!

4. Por falar em segurança, outro das notícias que chamou à atenção foi a nova proposta do estatuto da forças de segurança, onde o Governo propõe oferecer compensações monetárias ou conceder mais dias de férias aos agentes policiais que efectuem mais detenções e passem mais multas. Percebe-se o objetivo, mas pode estar a criar-se aqui uma motivação errada para a atuação das forças de segurança no domínio das multas. Várias estruturas sindicais vieram demonstrar a sua discordância, dizendo que se trata de uma proposta democraticamente grave – Banco dos RÉUS!

5. No âmbito da ação governativa foi ainda destaque a apresentação do programa VEM (Valorização do Empreendedorismo Emigrante), que visa apoiar projetos de portugueses que estejam no estrangeiro e queiram voltar para Portugal com ideias de negócio. A ideia em si é nobre e ambiciosa. Medidas que permitam aliciar portugueses a voltar ao País, devem ser encorajadas. Contudo, a forma atabalhoada, o escasso financiamento atribuído ao programa, bem como a necessidade das medidas estarem aprovadas até Junho, deixam no ar um certo cheiro a medida eleitoral, o que acaba por pôr em causa o verdadeiro mérito associado a esta medida. Banco dos RÉUS!

6. Da ação governativa passo para a justiça: tal como se esperava, o Supremo Tribunal de Justiça recusou o pedido de habeas corpus interposto pela defesa de José Sócrates, pelo que o ex-Primeiro-Ministro vai continuar detido em prisão preventiva. Tendo em conta os fundamentos alegados e os contornos que vão sendo conhecidos, é uma decisão que não surpreende. Banco dos CÉUS!

7. Mas o tema que merece a maior desenvolvimento é a criação e aprovação de um registo de pessoas condenadas por crimes sexuais contra menores, designadas vulgarmente por “listas de pedófilos”. A proposta em si mesma, sendo que tem por objectivo proteger as crianças, faz sentido. Aliás, é absolutamente inquestionável que se deve lutar por todos os mecanismos e instrumentos que permitam uma defesa apropriada das crianças. No entanto, tratando-se de um tema tão sensível, há que atender a todos lados da moeda. E, da proposta apresentada pela Ministra da Justiça, saltam logo à vista vários problemas. Não me quero deter nos detalhes eminentemente jurídicos, esses ficam para outros fóruns. Vamos pensar nos aspectos práticos desta proposta. Num país onde o próprio segredo de justiça anda pelas ruas da amargura, alguém duvida que mal a lista seja elaborada, no dia seguinte ela está na capa do Correio da Manhã? Mais, alguém duvida que quem receber a informação não a vai divulgar por todos os lugares, possíveis e imagináveis? E perante isto, o alarme social que se irá causar? Mais grave ainda, com a existência de tal lista, quantos problemas não vão surgir de informações falsas divulgadas na net, por qualquer pessoa, a coberto do manto do anonimato? Em casos limite, pode até dizer-se, sem grande exagero, que esta proposta pode reacender a velha noção do “fazer justiça pelas próprias mãos”. Note-se que não se trata aqui de defender ou dar primazia aos agressores. Trata-se sim, como sempre em Direito, de atender e ponderar todos os aspectos relevantes. É inegável que há que encontrar medidas adequadas à protecção das crianças. Contudo, esta proposta, da forma e com o conteúdo que apresenta, parece suscitar problemas de proporcionalidade e constitucionalidade. Não se trata, de todo, de uma questão pacífica, mesmo entre juristas. Parece-me então evidente que, face às dúvidas que se levantam, a proposta deve passar pelo crivo do Tribunal Constitucional. Mais uma vez, sendo a ideia louvável em si (por ter subjacente a protecção das crianças), o conteúdo da proposta acaba por não ser o adequado em virtude dos problemas que se levantam. Banco dos RÉUS!


8. Feita esta pequena análise a tema tão sensível e vasto, termino o meu apanhado da semana assinalando os dois anos de pontificado do Papa Francisco, um exemplo, não apenas para a comunidade católica, mas para o mundo em geral. Creio não exagerar se disser que ele é - pelo seu exemplo e pela sua actuação - a autoridade moral do Planeta. E que falta nos fazem mais exemplos deste calibre! Banco dos CÉUS. (há que admitir que neste contexto, o veredicto tem a sua graça…)
Muito mais havia a dizer, mas como o texto já vai longo, a hora é tardia, e a paciência dos leitores tem limites, despeço-me já, não sem antes convidar os interessados a passarem pela página do facebook do programa – facebook.com/juizodebancada



Até para a semana!
Emanuel Bandeira, Esmoriz, 16-03-2015




Imagem nº 1 - A longa e prestigiante carreira de Belmiro de Azevedo foi recordada no Programa "Juízo de Banca" da Rádio Voz de Esmoriz.
Foto extraída do Jornal Record (http://www.record.xl.pt/)



Universidade Sénior de Esmoriz promoveu o Sarau da Primavera

No passado dia 21 de Março, data que assinalou o início duma nova estação do ano (a Primavera) e o marco do Dia Mundial da Poesia, a Universidade Senior de Esmoriz proporcionou mais um excelente serviço cultural à comunidade esmorizense. No auditório da Junta de Freguesia de Esmoriz, onde se realizou o evento, estiveram presentes mais de 100 espectadores, isto sem contabilizar todos os alunos que estiveram em palco a actuar com dinamismo, empenho e vitalidade.
Houve lugar para tudo - música (actuações com guitarra, cavaquinho, canto de quadras populares), poesia, dramatização e ginástica. Um evento multicultural que recordou poetas portugueses de grande nomeada (Florbela Espanca, Sophia de Mello Breyner, Eugénio de Andrade, Fernando Pessoa...) e tratou várias temáticas como a felicidade, o amor, a liberdade, a pureza ou até o trauma da violência doméstica.
Houve igualmente um concurso de poesia que motivou a participação de alguns alunos da Universidade Sénior de Esmoriz que, diante do público, recitaram os seus versos repletos de imaginação, talento e criatividade. É de elogiar a coragem destes participantes que não hesitaram em partilhar os seus profundos sentimentos de saudade, amor e nostalgia. 
A Universidade Sénior de Esmoriz demonstrou uma energia bastante positiva, e voltou a sublinhar os benefícios da sua existência. O seu crescimento é fruto dum projecto minuciosamente trabalhado por todos os responsáveis, onde o voluntariado dos professores e a procura incessante de conhecimento por parte dos seniores acabariam por resultar na realização de espectáculos culturais de elevado gabarito. Este dia - 21 de Março foi pois assinalado com brio e vontade por parte daqueles cuja idade pouco ou nada pesou naquela esplendorosa e criativa noite.

















Exposição sobre a "Floresta Portuguesa" inaugurada na Cafetaria do Parque do Buçaquinho

Neste passado Sábado de manhã, foi inaugurada a exposição "Floresta Portuguesa - um olhar mais atento" nas instalações da Cafetaria do Parque Ambiental do Buçaquinho. A mencionada exposição é da autoria conjunta de Rosa Pinho (textos) e Lísia Lopes (fotos), responsáveis pelo Herbário do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro.
As fotografias de alta qualidade exibem em tons coloridos a evolução da floresta portuguesa bem como as diversas espécies de flora inerentes. Os textos das legendas contêm a identificação (em português e na terminologia em latim - nome científico) de cada planta ou árvore, além duma sucinta e aclarada descrição sobre cada exemplar.
Como se sabe, Portugal é um dos países com maior diversidade em termos de flora, contando com espécies atlânticas, mediterrânicas e endémicas. Há ainda igualmente aquelas abrangidas por um estatuto especial de conservação. Por outro lado, foi difundida a necessidade do ser humano assegurar uma gestão racional dos recursos florestais de modo a não comprometer o equilíbrio natural. Também o combate a espécies invasoras como as acácias deve ser tido em conta, de modo a não comprometer a sobrevivência das plantações nativas. 
Curiosamente, na tarde desse sábado, foram removidas várias acácias do Parque do Buçaquinho, de modo a zelar pela biodiversidade. Esta última acção contou com a colaboração incondicional da Fundação da Mata do Buçaco e da Unidade de Vida Selvagem da Universidade de Aveiro.
Voltando à exposição, recordamos que a mesma é de entrada livre e estará presente ao público até ao dia 26 de Abril. Sem dúvida, uma oportunidade a não perder para aqueles que veneram o meio ambiente. 














sábado, 14 de março de 2015

Extra-Esmoriz XIV - Ílhavo promove hábitos de leitura nos mais novos

De acordo com o Diário de Aveiro, a Rede de Bibliotecas de Ílhavo volta a privilegiar um programa cultural bastante apelativo direccionado para os alunos mais jovens. O mês de Março será então propício para fomentar a leitura de inúmeros livros. O Plano Nacional de Leitura é assim levado a sério neste município. A aprendizagem dos mais novos é determinante, e poderá fazer com que eles se interessem mais pela esfera cultural.




Imagem nº 1 - A Rede de Bibliotecas de Ílhavo tenciona valorizar a importância da leitura junto dos estudantes.

Foto do Mês - Março (2015)




Imagem nº 1 - Crateras Gigantes na Sibéria (Província de Yamal) causam surpresa na comunidade científica. Os investigadores não conseguem arranjar explicações para o fenómeno, contudo não é de descartar que esta situação esteja relacionada com o aquecimento climático global.
Retirada de: http://noticias.uol.com.br/ciencia/album/2014/07/21/cratera-na-siberia.htm, (Siberian Times - Anna Liesowska) )
Leia-se ainda: http://observador.pt/2015/03/12/descoberta-nova-cratera-na-siberia-relanca-interrogacoes-cientificas/

Intervenções urbanas em curso em Esmoriz

Além da intervenção da Câmara Municipal de Ovar no âmbito da pavimentação dos passeios da Avenida de Draveil, é igualmente relevante frisar as intervenções da Junta de Freguesia que estão a empreender semelhantes esforços na Rua dos Desportos, conferindo assim um maior funcionalismo em torno das artérias desportivas, numa altura em que se aproxima a 7ª edição do TIVE - Torneio Internacional de Voleibol de Esmoriz que reunirá conceituadas equipas nacionais e estrangeiras naquela que é apelidada como a "Universidade do Voleibol".
Também na praia, junto aos paredões, foi construído um passeio de cimento que se estende desde a Praia do Cantinho até às imediações da Praia Velha. Também com recurso a cimento e brita foi possível tapar os fossos das barreiras defensivas, alisando assim o seu "piso", de modo a precaver potenciais quedas fatais das pessoas que circulam em cima daquelas estruturas.
A Escola Básica da Praia também já possui um espaço moderno de recreio coberto, iniciativa da Câmara Municipal de Ovar que teve em conta o divertimento das crianças, sobretudo nos dias meteorologicamente mais adversos.
Neste momento, decorre em simultâneo a requalificação da Praça dos Combatentes do Ultramar, sítio onde se realizava o mercado semanal e tradicional da cidade.
Muito em breve, e ainda neste ano de 2015, aguardam-se novidades quanto à reabilitação da Barrinha de Esmoriz, do Esmoriztur e à pavimentação das ruas da Torre, Cavada e Nova.




Imagem nº 1 - Um novo espaço-recreio coberto na Escola da Praia de Esmoriz.
Foto: Câmara Municipal de Ovar



Imagem nº 2 - A Rua dos Desportos está a ser intervencionada ao nível dos passeios.
Foto da nossa autoria



Imagem nº 3 - Toda a rua deverá contar com um novo funcionalismo.
Foto da nossa autoria



Imagem nº 4 - A Cidade de Esmoriz poderá ficar com outra imagem bem mais apelativa no sector urbanístico.
Foto da nossa autoria

Movimento Civíco Pró-Barrinha exige a concretização imediata e consistente do projecto de reabilitação da Barrinha


Ao que tem sido veiculado na comunicação social, por comentários do Ministério competente e pelo que nos foi oficialmente apresentado, é desta vez que serão realizadas as obras tão desejadas e propaladas da requalificação da Barrinha de Esmoriz/Lagoa de Paramos.
Sim, mas realmente quando?
As intervenções projetadas, segundo o que nos foi dado consultar, são muitas e variadas, naturalmente importantes, de interesse tão ambientalista como turístico.
Verdade é que na luta que este MCPB tem exercido desde o ano 2000 que provocou a vinda dos então 1º Ministro e Ministro do Ambiente, António Guterres e José Sócrates, fomos iludidos, ou enganados, e só mais tarde, no Governo de Durão Barroso, foi feita a candidatura a Bruxelas já com perda de cerca de 20% do apoio europeu. Então foi extinta a Etar de Esmoriz/Cortegaça, construída em seu lugar uma estação elevatória, mais outras em localidades limítrofes e construídas condutas para transportar os efluentes industriais e domésticos para a Etar de Paramos entretanto aumentada e modernizada.
A poluição da Barrinha diminuiu bastante, sim, mas falta ainda muito para ser considerada limpa.
Face ao projeto em curso e às promessas, em que acreditamos, sugerimos e pedimos veementemente o avanço imediato do seguinte:
- Construção da Ponte sobre a Barrinha entre Esmoriz e Paramos (que já existiu, havendo apenas os seus alicerces) e respetivos passadiços de ligação de ambos os lados;
- Providenciar pelo exercício da Autoridade necessária para a eliminação das fontes poluidoras industriais e domésticas.
Esperamos contudo que o projeto em causa tenha bem em conta a riqueza da fauna e da flora sem a prejudicar.


MOVIMENTO CÍVICO PRÓ BARRINHA

segunda-feira, 9 de março de 2015

Precipitação Presidencial...

Cavaco Silva tem sido um presidente pouco interventivo. Muito sinceramente, já o disse aqui e volto a repeti-lo, esperava que o responsável máximo da nação falasse mais aos portugueses e não tivesse qualquer tipo de receio em enviar recados à classe política. O problema é que, apesar da crise que assolou o país nos últimos 5 anos, o Presidente da República Portuguesa optou preferencialmente pelo silêncio. E lamentei bastante que isso tivesse acontecido.
Eu já nem vou abordar aquela declaração surreal do presidente sobre a sua reforma, o que aconteceu aqui há uns anos atrás e que já caiu praticamente no esquecimento dos portugueses. Contudo, o Presidente da República voltou a usufruir da palavra recentemente, desta vez, para resumir a história da dívida de Passos Coelho à Segurança Social, categorizando a situação como fruto da campanha pré-eleitoral e das lutas político-partidárias. 
Se é verdade que este acontecimento está a ser utilizado como arma de arremesso pelos partidos adversários contra Pedro Passos Coelho, isso não é motivo suficiente para ocultar os outros prismas de observação que fazem igualmente todo o sentido. O primeiro-ministro não pagou as contribuições que devia à Segurança Social entre 1999 e 2004 (cinco anos!), é certo que as regularizou posteriormente (o que atenua a sua culpabilidade), contudo o que aqui está em causa é a diferença de tratamento. Fosse um cidadão comum (e isso é extremamente fácil de comprovar através de milhares de testemunhos que passaram por casos iguais ou semelhantes) era logo intimado, sob pena de penhora e juros, a pagar a dívida à Segurança Social e não haveria lugar a prescrições nem a perdões de dívida como aconteceu com o primeiro-ministro português. Sim, é isto que me choca. Eu bato-me por um país mais justo e igualitário. E por isso, desvalorizar este caso é um erro, pois estes casos têm de ser divulgados de forma a que se proceda à correcção posterior. Não pode haver portugueses de primeira e portugueses de segunda. O sistema tem de ser credibilizado!
É claro que também considero um exagero pedir-se a demissão de Pedro Passos Coelho. A infracção é grave, sem dúvida, mas nunca ao ponto de justificar a queda dum governo constitucional e até porque as eleições estão mesmo aí à porta. Contudo, abafar esta história e tentar classificá-la como mera campanha eleitoral é um erro crasso de quem deve, em primeiro lugar, defender os interesses de todos (repito todos) os portugueses. 
Para muitos, Cavaco Silva terá evitado uma crise política ao segurar este governo até ao fim, mas por outro, terá desempenhado um papel secundário, tornando-se numa sombra, e não na luz que o país precisava, durante o intenso nevoeiro que se abateu sobre o país nos últimos anos.
O próximo Presidente da República tem de ser mais activo e revelar a coragem necessária para afrontar ou advertir aqueles que, por vezes, saem da linha, sejam eles de que partido forem...




Imagem nº 1 - Cavaco Silva, Presidente da República Portuguesa, deveria ter sido mais interventivo.

Grupo de Teatro Renascer apresentou projecto cultural - "Vi(r)ver Teatro"

Neste passado sábado à noite, o Grupo de Teatro Renascer apresentou duas comédias que levantaram várias gargalhadas e aplausos na plateia que se fez evidenciar no auditório do Antigo Quartel dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz. A primeira peça apresentada é recente, estreou-se no passado festival e chama-se "Entre Anjos e Rosmaninho" e tem feito furor dado o enredo bem elaborado. Já a segunda encenação - "A Doença do Tótó" conhece uma existência anterior e explorou sobretudo os desentendimentos entre as mais diversas personagens. 
João Gomes agradeceu a presença dos espectadores (mais de 50/60 ao todo!) que, por seu turno, saudaram, em pé, mais um serão teatral onde reinou a boa disposição. O presidente do Renascer elogiou o afinco da sua extensa equipa, e recordou ainda que o projecto agora iniciado -"Vi(r)ver Teatro" - consistirá na apresentação duma peça por cada mês na cidade de Esmoriz, de modo a tentar cativar a comunidade para a magia do teatro. Sabe-se ainda que para a semana, o Grupo de Teatro Renascer irá actuar, por convite, em Proença-a-Nova. 
Por fim, não podemos deixar de ressalvar a intervenção final de Salvador Malheiro, Presidente da Câmara Municipal de Ovar, que prometeu novidades, muito em breve, em relação à reabilitação do Esmoriztur, uma casa que todos nós queremos ver recuperada. O edil agradeceu ainda o prémio que foi entregue pela colectividade que visava homenagear a instituição do ano transacto de 2014, voltando a elogiar o trabalho meritório e prestigiante do Renascer.




Imagem nº 1 - O Grupo de Teatro Renascer continua a promover com brio a cultura portuguesa.
Foto: Câmara Municipal de Ovar

A Limpeza da Praia de Esmoriz juntou dezenas

Muito graças à colaboração empreendida entre membros da escola de surf - "Barrinha Surf School", escuteiros do Agrupamento 871 e bombeiros de Esmoriz, foi possível emprestar outra imagem (bem mais animadora) à praia de Esmoriz. 
Efectivamente, procedeu-se à remoção duma elevada quantidade de entulho ou lixo que abundava na zona, valorizando assim a importância da preservação ambiental e dum dos cartões de visita da cidade de Esmoriz.
Este gesto merece, desde já, o nosso sincero reconhecimento, e deve ser seguido como um modelo exemplar.
As fotos que se seguem foram partilhadas por João Soares na página do Agrupamento 871 - Escuteiros de Esmoriz na rede social do Facebook.







Esmoriz Ginásio Clube despediu-se da Taça de Portugal nos quartos-de-final

O Esmoriz Ginásio Clube foi uma das 8 equipas que disputou em Santo Tirso as últimas rondas da segunda maior prova do escalão nacional - a Taça de Portugal. Contudo, a turma esmorizense foi logo eliminada nos quartos de final pelo CA Madalena que venceu por 3-0 em sets. A prova viria a ser conquistada pelo Benfica que derrotou na final o Sporting Clube de Espinho também por 3-0 em sets.
As atenções voltam a estar agora canalizadas para o campeonato, onde o Esmoriz Ginásio Clube procura assegurar a manutenção entre os grandes desta modalidade.




Foto extraída do Perfil do Esmoriz Ginásio Clube no Facebook

sexta-feira, 6 de março de 2015

Os amigos (improváveis) da abstenção!








A política de cariz democrático é um mal necessário, é o que nos separa da anarquia ou dum regime tirânico ou totalitário. A participação popular, consubstanciada pelo exercício do voto, é tida como um dos pilares fundamentais da liberdade de expressão. Todavia, estas verdades a la Palice perdem parte da sua pertinência quando a actual conjuntura política está afundada no descrédito.
Comecemos pelo não-pagamento das contribuições do cidadão Pedro Passos Coelho (actual primeiro-ministro de Portugal) para os anos compreendidos entre 1999 e 2004, quando exercia as funções de consultor da Tecnoforma. O visado tratou logo de citar o desconhecimento prévio da situação e queixou-se ainda dos seus detractores estarem a vasculhar a sua vida pessoal. Porém a comentadora Constança Cunha e Sá, em directo no telejornal da TVI, refutou a reclamação do primeiro-ministro, até porque ninguém pode ignorar de que se tratava duma obrigação legal (não devidamente cumprida) diante do Estado Português. É claro que Pedro Passos Coelho regularizou posteriormente a dívida à Segurança Social que entretanto tinha prescrito. Foi sensato e prudente, e esta última atitude atenuou o seu grau de culpabilidade no caso. Contudo, a TVI não se ficou por aqui e emitiu mesmo uma reportagem sobre pessoas que foram surpreendidas com situações semelhantes através de avisos de pagamentos por saldar à Segurança Social. Estes meros cidadãos também se justificaram (mas em vão!) com o desconhecimento da lei e com a não-recepção da devida correspondência documental, mas foram logicamente coagidos, ou pelo menos, obrigados a regularizar, sob pena de penhora imediata, o que estava em falta para com os serviços sociais do Estado. Curioso que aqui já não houve lugar a qualquer prescrição. Sim, esta diferença de tratamento envergonha-me enquanto cidadão português, porque afinal não deveríamos ser todos iguais perante a Constituição? Mas este não foi o único passo errado do primeiro-ministro. Neste âmbito, Pedro Passos Coelho ao apresentar a sua defesa disse que apesar de não ser um cidadão perfeito, afirmou veementemente que nunca enriqueceu à custa dos cargos que desempenhara, numa alusão indirecta mas óbvia a José Sócrates (ex-primeiro ministro que se encontra nos calabouços de Évora; falaremos deste caso mais à frente). Logicamente, viu o seu discurso a ser aplaudido pela plateia que se encontrava na sala, mas provavelmente, não constatou que estava a enveredar por um caminho ousado e pouco construtivo que não se pretende nesta campanha pré-eleitoral que promete ser longa seguramente. A lavagem de roupa suja ou as acusações pessoais afastarão ainda mais as pessoas da actividade política e ninguém poderá cair na tentação perigosa de misturar a política com a justiça. O que todos pretendemos é, sem margem para dúvida, a discussão de programas, projectos e ideias essenciais para o bem-estar do país, e não a revelação dos "podres" dos candidatos que se apresentarem às urnas.
Ainda em relação ao governo de Pedro Passos Coelho, temos de reconhecer, com o devido rigor, que conseguiram apresentar determinadas melhorias no âmbito da economia nacional, algo que até António Costa (principal candidato da oposição) reconheceu diante duma comunidade chinesa. O país está melhor em termos de equilíbrio financeiro e recuperou credibilidade diante dos investidores estrangeiros, mas no panorama social, e apesar da tímida queda da taxa de desemprego (ainda se cifra em números elevados), a verdade é que a miséria se agravou nestes últimos anos. O povo foi chamado a pagar uma elevada factura pela desgovernação que testemunhamos nas duas últimas décadas, e as estatísticas recém-publicadas pela Agência Bloomberg não são ainda nada animadoras. É pois imperioso que o reequilíbrio das contas públicas comece a traduzir-se na melhoria do nível de vida dos portugueses (por exemplo, na diminuição da carga fiscal). O aumento do ordenado mínimo foi, de facto, uma boa noticia, mas são necessárias mais medidas positivas.
Creio que é necessário concluir que o governo de Passos Coelho teve ministros aceitáveis (António Pires de Lima - Ministro da Economia, Paula Teixeira da Cruz - Ministra da Justiça, Assunção Cristãs - Ministra da Agricultura) mas também contou com alguns membros polémicos que estiveram longe de merecer uma consideração positiva por parte da população (Miguel Relvas - ex-Ministro dos Assuntos Parlamentares, Nuno Crato - Ministro da Educação, e Rui Machete - Ministro dos Negócios Estrangeiros...). Ainda em jeito de remate, penso que Portugal se ajoelhou demasiado perante as exigências da Troika, embora admita a importância de algumas medidas pouco populares para inverter o rumo nefasto que o país seguia nos anos derradeiros.
O CDS-PP deverá evidentemente formalizar em breve a sua coligação com o PSD para as próximas legislativas. Os populares foram fundamentais para garantir a coesão e estabilidade do governo. Admito que apreciei a modéstia e o afinco exibidos pelo Ministro da Solidariedade, Trabalho e Segurança Social - Pedro Mota Soares. Todavia, nem tudo foram rosas, e por isso, não deixei de repudiar aquela historieta lamentável da "demissão irrevogável" do vice-primeiro ministro que poderia ter gerado uma crise política desnecessária, e também confesso que me custou a aceitar o arquivamento bizarro do caso dos submarinos (embora este processo nos remeta para outra legislatura).
No Partido Socialista, tem vindo a esfumar-se o optimismo em torno do seu novo rosto máximo - António Costa. Quando este derrotou António José Seguro nas eleições primárias e internas no partido, muitos aclamavam que a sua capacidade galvanizadora iria levar o PS à maioria absoluta, tirando igualmente máximo proveito das políticas impopulares de austeridade levadas a cabo pelo actual governo. As vitórias pirrícas do partido com Seguro tinham terminado, diziam muitos dos apoiantes de Costa. Agora Passos Coelho tinha razões para tremer!!! Contudo, este prisma de observação tornou-se logo num mito rebuscado, aliado ao ressurgimento do descontentamento entre alguns socialistas que esperavam mais de António Costa ao nível da intervenção política. Efectivamente, em nenhuma das sondagens até então apresentadas no decurso dos últimos meses se pode vislumbrar um Partido Socialista próximo da maioria absoluta. Aliás, se a coligação PSD & CDS avançar em conjunto (cenário bastante provável) a diferença entre as duas principais forças políticas é reduzida, para não, dizer ínfima - quase ao ponto de poder haver lugar a um empate técnico. Há membros do partido socialista que começam a desesperar. Manuel Alegre já veio pedir inclusive a demissão de Pedro Passos Coelho porque considera que este "beneficia de absoluta impunidade política". É certo que o primeiro-ministro cometeu um erro grave, mas não ao ponto de justificar a queda dum governo constitucional, já para não relembrar que estamos perto das eleições legislativas, o que torna absurda qualquer eventualidade de demissão. Mas o pior pesadelo do PS aconteceu quando Carlos Alexandre decretou a prisão preventiva de José Sócrates por fortes suspeitas de corrupção; foi quase como uma bomba no interior do partido, visto que a imagem do ex-primeiro ministro estava intimamente associada à história recente do partido. Se ressalvamos, desde já, que este caso não deve ser utilizado na propaganda política (seria mesmo de muito mau gosto se tal acontecesse!), não podemos ignorar contudo que o processo não favoreceu a estratégia do partido, apesar da tentativa posterior de distanciamento (absolutamente compreensível!) dos seus responsáveis máximos em relação a este caso mediático. 
Na minha opinião (vale o que vale - é uma análise subjectiva), os socialistas cometeram um erro crasso ao seguir a linha conservadora, optando por António Costa (esteve sempre muito próximo de Mário Soares e José Sócrates) em detrimento de António José Seguro, o qual poderia assegurar o necessário rejuvenescimento do partido (aliás, há-que renascer transversalmente a forma de fazer política em Portugal!). Contudo, este último, que deu a cara pelo partido nos maus momentos, foi escorraçado com sete pedras e nunca mais se ouviu falar nele. Mário Soares chegou mesmo a arrasar o ex-Secretário-Geral do PS, acumulando outras declarações deprimentes ao longo destes últimos cinco anos. Mas António José Seguro bateu-se por merecer a oportunidade de ir às legislativas, porém não lhe foi confiada a circunstância. Voltando a António Costa, e mais concretamente em relação à presidência que tem exercido na Câmara de Lisboa, também se veicularam algumas polémicas, nomeadamente a cobrança de novas taxas turísticas aos visitantes da capital (parece que depois a Câmara recuou à última da hora e não abrangeu assim na tarifa os cidadãos com residência em Portugal) e a isenção ridícula de taxas urbanísticas a um clube de futebol (tem que se acabar definitivamente com essas simpatias de excentricidade ou proteccionismo perante os três principais clubes nacionais - o dinheiro público deve ser sim investido em questões mais urgentes como a Educação ou a Saúde). Mesmo assim há-que reconhecer que António Costa conseguiu, pelo menos, segurar a vantagem mínima do PS nas sondagens (embora não tenha conseguido, até ver, ampliá-la), o que lhe concede algum favoritismo. Mas para atingir os números que logicamente deseja, terá que mostrar uma maior eloquência e determinação nos discursos que proclamará nos próximos meses e silenciar definitivamente os argumentos dos seus críticos. 
Longe dos dois principais partidos que disputam o poder, temos o Partido Comunista e o Bloco de Esquerda. Estes podem até conquistar mais votos e assentos parlamentares nas próximas eleições, mas nenhum deles gozará duma popularidade sensacional à semelhança dum Podemos ou dum Syriza, partidos de esquerda que agora se tornaram "colossos" em Espanha e Grécia respectivamente - dois países mediterrânicos afectados curiosamente pela saga da austeridade. Em termos de opinião pública, as suas intervenções são logo rotuladas (sobretudo pelos detractores) de demagogia e populismo, de se restringirem à oposição básica e de não oferecerem um programa "realista" para o país. No Partido Comunista, Jerónimo de Sousa é consensual entre os militantes e simpatizantes, contudo denota sérias dificuldades em convencer seguidores não-comunistas a juntarem-se à sua causa. No Bloco de Esquerda, houve mudanças nos últimos anos ao nível da liderança, mas o entusiasmo que chegou a registar-se inicialmente em torno de Francisco Louçã (um político repleto de transparência e sabedoria que mereceu o meu maior respeito) acabou por se esmorecer, e o partido pode inclusive ser ultrapassado pelo novo partido... de Marinho Pinto! 
Sim, o Partido Democrático Republicano, encabeçado pelo ex-bastonário da Ordem dos Advogados, está agora bem posicionado para eleger deputados para a Assembleia da República. Conta com 4 a 5 % das intenções de voto. O carisma de Marinho Pinto contribui para essa estatística promissora. Trata-se dum homem que não tem medo de dizer o que pensa e que revela enorme frontalidade nos assuntos mais polémicos. Porém também já se afundou em algumas contradições (por exemplo, criticou as elevadas remunerações dos eurodeputados, mas quando foi eleito, não abdicou por exemplo de parte do majestoso salário que viria a auferir), acabando o seu discurso por conter tons de demagogia e populismo, isto de acordo, com a leitura dos seus adversários. 
Em jeito de síntese, a vitória nas legislativas de 2015 será disputada entre o PS (com ligeiro favoritismo) e o PSD&CDS, mas não haverá maiorias absolutas para ninguém, e já há mesmo quem fale num bloco central envolvendo os três partidos que assinaram o Memorando da Troika. 
Neste momento, sinto-me profundamente abalado pela descrença na nossa classe política nacional. Nos últimos tempos, foram vários os casos vergonhosos que me fizeram ainda afastar mais daquilo que deveria ser uma arte de gerir bem os destinos da nação. Pela primeira vez, estou às portas dumas eleições e não sei em quem votar. Confesso que não detenho qualquer convicção nem inclinação partidária para as legislativas que se avizinham. Estou bastante desiludido com os partidos portugueses. Faço minhas as palavras que Florbela Espanca uma dia proferiu na sua correspondência: "A respeito de política (...) eu continuo a não ter fé em ninguém e a achar todos os mesmos."
Facto é que o país continua a viver bem de perto os fenómenos de corrupção, nepotismo, cunhas, tráficos de influência, elevado desemprego, emprego precário... Não posso estar satisfeito, e penso que é legítimo pedir mais! Mas como fazê-lo?
A minha indecisão reside agora em juntar-me aos números assombrosos e hegemónicos da abstenção, ou se irei acordar muito bem disposto no "grande" dia da eleição, e depois de tomar um café inspirador, talvez aproveite a boleia para dar um salto às urnas, mas sem obviamente recorrer a qualquer caneta ilusória. 


Artigo de opinião

Correio dos Comunicados Políticos - PCP Ovar apresenta moção contra municipalização da educação


 Comissão Concelhia de Ovar


Nota de Imprensa: PCP apresenta moção contra municipalização da educação


A Comissão Concelhia de Ovar do PCP alerta para o preocupante processo de municipalização da educação (eufemisticamente denominado "descentralização de competências") desenvolvido pelo governo PSD/CDS.
O Decreto-Lei 30/2015 sobre descentralização de competências recentemente aprovado constitui-se, no seu objectivo e fins, num processo de delegação de competências a concretizar através de contratos inter-administrativos a celebrar com as autarquias que aderirem em áreas de grande complexidade (educação, saúde, segurança social e cultura), não separado da estratégia de destruição de políticas públicas e funções sociais do Estado que os governos há muito prosseguem.
O Governo tem vindo a negociar com algumas câmaras municipais este tipo de contratos, num processo muitas vezes envolvido em grande secretismo, sem ouvir sindicatos e organizações de professores, o Conselho das Escolas, organizações de dirigentes escolares ou a própria Associação Nacional de Municípios Portugueses.
Acresce a posição preocupante da CIRA, que já assumiu em comunicado o seu interesse neste modelo proposto pelo Governo, confirmando-se já que será uma das regiões a implementar o programa-piloto.
Se se concretizarem os objectivos do governo, serão transferidas para os municípios e sem o adequado envelope financeiro uma série de responsabilidades em matéria de educação que terão como consequências a limitação do carácter universal e gratuito do sistema de ensino, o ataque à dignidade da carreira docente, a instituição de novos encargos para autarquias já asfixiadas financeiramente, a degradação e abre a porta à privatização de funções educativas. 
Tendo isto em conta, o PCP apresentará, já na próxima sessão da Assembleia Municipal, na próxima sexta-feira 27 de Fevereiro, uma moção visando rejeitar responsabilidades relativas à transferência de competências para o poder local no Município de Ovar (municipalização) na área da educação, que são constitucionalmente da responsabilidade do Governo. 
Ao mesmo tempo, apela à mobilização da população, em especial os professores, estudantes, funcionários e encarregados de educação, contra este processo incompatível com a autonomia do Poder Local e que aprofunda a sua subordinação a interesses e políticas que lhe são estranhas.

Ovar, 24 de Fevereiro de 2015
A Comissão Concelhia de Ovar do PCP

Correio dos Comunicados Políticos - Criação do Núcleo de Mulheres Social Democratas de Ovar‏ foi oficializada

O Núcleo das Mulheres Social-Democratas de Ovar foi nomeado pela Comissão Política Concelhia de Ovar do PSD, no dia em que se assinalava o 40º Aniversário da primeira reunião da comissão que promoveria a criação da secção de Ovar do PSD.
Carla Madureira, Mónica Albergaria, Cristina Carvalheira, Patrícia Ferreira e Ana Sousa são os nomes que compõem este núcleo que tem como objetivos cativar mais mulheres para a militância no partido e para a participação política ativa.
Na sessão em que foi formalizada a nomeação, Salvador Malheiro e António Topa, dirigentes distritais do partido, depositaram esperança e confiança no trabalho destas mulheres e Carla Madureira, coordenadora do Núcleo, definiu alguns dos objetivos da estrutura. “Pretendemos atrair  mais mulheres ao PSD e incentivar a sua participação na vida política, queremos desenvolver fóruns de discussão sobre assuntos que lhes dizem diretamente respeito, promover jornadas de formação autárquica e política, trazer à discussão pública outras matérias que a sensibilidade masculina, por vezes, tem dificuldade em descodificar e valorizar”, explicou.
Para o presidente da Comissão Política, Pedro Coelho, não obstante o louvável esforço do PSD no sentido de cumprir e aprofundar a Lei da Paridade, na elaboração das suas listas para as Autarquias, Assembleia da República e Parlamento Europeu, a criação deste núcleo “é um sinal de que tem de aprofundar e incentivar uma maior participação das mulheres nos órgãos concelhios e promover a sua formação política e autárquica”.




Legenda; Núcleo das mulheres social democratas com o presidente da concelhia PSD de Ovar
Da esquerda para a direita: Patrícia Ferreira; Carla Madureira; Pedro Coelho; Cristina Carvalheira; Mónica Albergaria e Ana Sousa 

Extra-Esmoriz XIII - Evento PiGO dedicado ao Empreendedorismo realiza-se em Albergaria-a-Velha


Alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha do curso profissional de Comunicação, Marketing, Relações-Públicas e Publicidade, criadores do evento PiGO, tiveram a iniciativa de realizar a segunda edição do mesmo, à imagem do sucesso no ano anterior.
Este evento pretende juntar os criadores, inovadores e sobretudo empreendedores, autores de produtos e/ou serviços de reconhecimento público. O PiGo irá realizar-se na incubadora de empresas de Albergaria-a-Velha no dia 14 de Março de 2015 pelas 06:29:53 pm, ou seja, Pi momento (Pi) 3,141562953 (3 de março, 14 do dia, 15 do ano, 6 das horas, 29 dos minutos e 53 dos segundos), marcando dessa forma o seu início.
Assim, pretende-se com este evento, não só partilhar as oportunidades, como, fazer networking e estabelecer contacto para futuras relações, mas também validar as dificuldades da inovação, motivando os presentes para o empreendedorismo com as diversas histórias de sucesso dos convidados e oradores - 3 + 14 oradores/projetos/empresas (17 no total).

Desta forma destacamos alguns dos oradores do evento:

  • Rui Pina – Sakproject (criadores e produtores de caneleiras em carbono personalizadas para jogadores de futebol profissional)
  • José Pedro Moura – Innovmapping (3D do Google stret)
  • Marco Neiva – HipperCube (cienam 3D, enviou o galo de barcelos para o espaço e criador do festivais de youtuber’s)
  • Norberto Amaral – Sonae sierra ( implemtou a caixas de self pagamento nos hipermercados)
  • Paulo Ferreira – Impactesales (lideres em formação de vendas e comercio)
  • Pedro Bandeira – Abac (presidente da Assocação de business Angels de Aveiro)
  • Pedro Mendes – IPAM (fala-nos do caso de sucesso dos espectáculos de Natal quebra nozes no gelo e branca de neve no gelo)
  • Cândido Cruz e Paulo Pinheiro- líquen board (criadores das pranchas de surf em cortiça)
  • Hugo Silva- Bitalino (criador do arduino bitalino, equipamento de recolha de biosinais e interacção homem-maquina)
  • João Ferrand – Wingz (veio da Pixar- Holiwood, criador de jogos digitais como falção VS Aliens)
  • Hugo Miranda – Universidade de Aveiro (criador de impressões de circuitos electrónicos em papel)
  • Ângelo Valente e Sofia Nunes- centro comunitário da Gaf, do Carmo (criadores dos vídeos virais entre os quais wrecking ball da Miley Cyrus com idosos)
  • Francisco Mendes – Beeverycreative (criador de primeira impressora 3D domestica)
  • Florbela Borges – Multidados
  • Marisa Ribeirinho – Universidade de Trás dos Montes e Alto Douro ( está a desenvolver um substituto do sal através de uma planta)




Cada orador, terá no entanto, o desafio de realizar um pitch de 3,14 minutos que servirá para demonstrar o processo de inovação e criação da ideia que representa. Todavia, é também significativo revelar que é um evento de cariz gratuito sem qualquer tipo de fins lucrativos, apenas assim pelo desejo de juntar vários nomes de nacionalidade portuguesa que têm como objectivo de mudar não só especificamente, a economia nacional e internacional, como O MUNDO!

Extra-Esmoriz XII - Ovar abraça "Volta a Portugal" mais de 3 décadas depois

Agora está oficialmente confirmado - 33 anos depois - Ovar vai voltar a receber o grandioso pelotão da edição da Volta a Portugal em bicicleta. Uma notícia que enche de orgulho a comunidade vareira e reintroduz no mapa de Portugal, um concelho que tem empreendido notáveis esforços nos últimos anos na vertente do ciclismo (por exemplo: a criação de extensas pistas para ciclistas e corredores).
Ovar será ponto de partida duma etapa ainda por definir naquela reputada competição nacional que junta ciclistas de elevada categoria. A prova será disputada entre os dias 29 de Julho e 9 de Agosto.
Em termos históricos, Ovar já integrou o trajecto da Volta a Portugal por dez vezes (repartidas por 5 partidas e 5 chegadas de etapas) - estreou-se em 1935, e testemunhou a sua última participação em 1982.
O executivo municipal acredita que será dinamizada a imagem turística do Município em pleno Verão, e o investimento previsto para o acolhimento da etapa (a especificar) será, à partida, irrisório. 




Imagem nº 1 - Ovar volta a acolher a prova máxima nacional de ciclismo juntamente com outras terras.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Extra-Esmoriz XI - Medicina Chinesa afirma-se em Vagos

A autarquia local vai inclusive apoiar famílias carenciadas que necessitam de tratamentos orientais. Neste momento, e de acordo com o Diário de Aveiro, mais de duas centenas de pessoas aderiram a estas técnicas medicinais chinesas. Os responsáveis reflectem agora sobre a potencial troca ou modernização de instalações para assim dar resposta à crescente procura.
O Presidente da Câmara Municipal de Vagos - Silvério Regalado disse à Agência Lusa que este projecto “já tem uma grande maturidade e é uma mais-valia para a população, em que o município estabeleceu uma parceria com a Misericórdia e as Clínicas Pedro Choy, que são uma referência nas medicinas alternativas”.
A medicina oriental começa a ser bastante cobiçada no Distrito de Aveiro, tornando-se mesmo essencial para muitos que procuram usufruir de condições de saúde benéficas ou estáveis.




Imagem nº 1 - Gravura meramente exemplificativa sobre a medicina tradicional chinesa.

Grupo de Teatro Renascer promove evento "Vi(r)ver Teatro"

No dia 7 de Março, isto é, neste sábado - pelas 21:30, o Grupo de Teatro Renascer vai levar a cabo duas peças cómicas que têm feito furor na região - "Entre Anjos e Rosmaninho" e "A Doença do Tótó". Os espectáculos irão realizar-se no auditório do antigo quartel dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz, onde decorreu o último festival de Teatro levado a cabo pela colectividade do Renascer. 
Traga os seus familiares e amigos, e aproveite este serão cultural que decerto despertará várias gargalhadas na plateia.





Cartaz do Grupo de Teatro de Renascer

O Dia da Protecção Civil foi diferente em Esmoriz

Os Bombeiros Voluntários de Esmoriz abriram as suas instalações e apresentaram os cantos à casa a várias dezenas de visitantes que tiveram a curiosidade de conhecer um pouco mais sobre a história e tradição altruísta (de auxílio ao próximo) da corporação. Foram ainda apresentadas viaturas cuja simbologia e importância reivindicam um legado determinante.
O dia 1 de Março, o dia da Protecção Civil, foi pois diferente muito graças à generosidade ou hospitalidade dos nossos soldados da paz que mostraram aos mais curiosos o seu local de trabalho e as várias circunstâncias que envolvem o seu laborioso ofício.




Foto: Bombeiros Voluntários de Esmoriz

Correio dos Comunicados Políticos - Bloco de Esquerda levantou algumas questões na última sessão da Assembleia Municipal (realizada em Esmoriz)



Resultado de imagem para bloco de esquerda


Algumas das questões relacionadas com Esmoriz, colocadas pelo Grupo do BE na AM de Ovar, ao Sr. Presidente da Câmara:


Orla costeira
Felizmente para as populações residentes nas áreas de maior risco do avanço do mar, este ano a orla costeira tem sido poupada ao contrário aliás de outros pontos da Europa e naturalmente, da fustigação de que foi vitima no ano passado. No entanto numa das marés mais ativas o mar voltou a banhar a marginal no Furadouro. 
Sem questionar a necessidade do reforço e reposição das defesas frontais que tinham sido destruídas, mantem-se a dúvida sobre o tipo de construção destas defesas que insistem numa visível e estranha “rampa de lançamento” que facilita a entrada das águas do mar por terra a dentro, em zonas residenciais e comerciais, como voltou a acontecer este mês nas fortes marés na praia do Furadouro.
Tratando-se de uma matéria a merecer a atenção da comissão de acompanhamento da Assembleia Municipal gostaríamos de saber que indicadores tem a Câmara sobre o comportamento das estruturas de defesa da costa ensaiadas na Praia Velha de Maceda, ainda que tal experiência não tenha sido sujeita a um inverno muito agreste?

Barrinha de Esmoriz
Recordando até um “ultimato” feito pelo executivo da Junta de Esmoriz ao Governo sobre a necessidade de intervenção na Barrinha de Esmoriz, e recorrendo à informação na imprensa, da presidente da sociedade Pólis de Aveiro, eng. Celina carvalho, sobre os reforços de financiamento que os projetos da Pólis vão ter no âmbito do próximo quadro comunitário de apoio. Estarão finalmente garantidas as condições para esta área lagunar merecer obras de desassoreamento que a libertem dos focos de polição que há décadas a condenou à morte e que obrigou a uma relação difícil com a privilegiada área balnear das praias envolventes? Intervenção que não passará certamente só pela intervenção local, uma vez que os focos de poluição estão a montante! 
Que projetos tem a própria Câmara e, ou Junta de Esmoriz, para valorizar este património ambiental e paisagístico, sem correr o risco de descaraterizar o seu habitat natural? 

Venda de lenha na floresta entre Esmoriz e Cortegaça
Foi recentemente denunciada uma espécie de comércio de venda de lenha sem qualquer controle desta transação de matéria-prima na área florestal pública entre Esmoriz e Cortegaça, que vai desde toros de árvores mortas ou bem vivas de pinheiros e mesmo eucalipto, austrálias ou mimosas. Segundo a denúncia, tudo serve. Ora o que precisamos de saber, tratando-se de um recurso de financiamento das próprias autarquias locais, é se esta prática, mesmo tratando-se de limpeza necessária, é do conhecimento dos autarcas ou se é mesmo feita à revelia de qualquer controle tal como é denunciado.

Rua Turquia 
Sobre os rebentamentos de condutas de Águas Pluviais e de Saneamento - Quais os esforços e o interesse que tem obtido a CM. Pois esta situação tem consequências para a Barrinha.
Transbordo de proveniente da rede de esgotos tem trazido para a rua água, dejetos, papel higiénico e o mais que podemos adivinhar em situações destas, como se sabe, acresce e que esta acabe por drenar
para a Barrinha.
Houve várias denúncias, e…Câmara Municipal, que não obteve qualquer resposta. Junta de Freguesia, que deu conta da denúncia.
AdRA, Que fez questão de dizer que o problema iria ser resolvido enviando no dia um piquete, mas daí para a frente, nada, faltandoinclusive a encontros no local combinados com o munícipe, para se resolver o problema.
SEPNA, que enviou dois GNR`s para fazer o auto da situação.
Protecção Civil em Ovar, sem resposta.
Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, sem resposta.
Agência Portuguesa do Ambiente, sem resposta.
Direção-Geral do Consumidor, sem resposta.
Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, sem resposta.



Texto enviado por Álvaro Abreu Faria